Monster Coyote: Muito peso no Neckbreaker (2015)

É sempre legal escrever sobre o Monster Coyote, porque é uma banda que acompanhei durante certo tempo e é sempre bom ver a evolução da banda entre os álbuns.

Faltaram até palavras para iniciar essa resenha quando Iddqd começou a soar, que introdução pesada!! O Monster Coyote mostrou logo a que veio!! Isso, com muita exclamações!!

Parando para respirar, depois de escutar bastante o The Howling (2012), esperava ansioso por um novo trabalho dos “Lobos” e eis que surge o Neckbreaker (2015). Os riffs pesados continuaram em Hand of Disaster, com direito a um vocal destruidor de Kalyl Lamark. A produção das músicas foi excelente, os instrumentos estão bem “distintos” e conseguimos entender facilmente todas as passagens da música – o que é essencial em músicas pesadas.

The Worst Blind, single divulgado, vem logo em seguida e dispensa comentários. O que gostaria de destacar é que o peso do death metal praticado pela banda – principalmente no The Howling (2012) – abriu espaço para uma veia stoner, ficou legal a fusão. As variações continuam na introdução dedilhada de Capgras, a banda até arriscou um acompanhamento na bateria no melhor estilo Black Sabbath nos tempos do Sabotage (1975), mas o peso volta logo a reinar. O que gostei das variações é que mostraram ousadia da banda. O álbum não está àquela coisa “reta”, por assim dizer, monótona. Você consegue sentir uma identidade em cada música.

A veia veloz da banda volta a estar presente em Leap of Faith, contrastando com um refrão pesado. Spiritual Karma foi uma das músicas que a banda já havia divulgado em 2013, seguindo mais a linha do The Howling (2012). A música é bem pesada, mas segue uma linha melódica no refrão, gostei bastante da composição. Para encerrar o álbum temos I Fucked a Witch e a também já divulgada previamente The Shepherd Who Saves the Wolf Dooms His Sheep.

O resultado final do Neckbreaker (2015) foi muito bom. A sonoridade do álbum está excelente, podemos entender e curtir todo o peso das músicas. Isso associado à diversidade nas composições adotada pela banda gera músicas de alta qualidade. Achei o álbum direto e conseguiu cumprir aquilo que se propôs, que foi disseminar o som do Monster Coyote. Como gosto de dizer, é sempre bom ver uma banda que você acompanhou evoluindo a cada trabalho. Que venham mais trabalhos e o Monster continue trilhando seu caminho.

1.Rapture
2.Iqqdq
3.Hand of Disaster
4.The Worst Blind
5.Capgras
6.Leap of Faith
7.Spiritual Karma
8.I Fucked a Witch
9.The Shepherd Who Saves the Wolf Dooms His Sheep

Um Comentário para: “Monster Coyote: Muito peso no Neckbreaker (2015)

  1. Concordo totalmente! Quem ouvir atentamente vai perceber a qualidade impressionante do álbum. O Monster conseguiu “criar” uma atmosfera sombria, nebulosa, que já começa logo em “Rapture” e vai se revelando a cada faixa. Destaque para “IDDQD”, que une um riff extremamente pesado em um momento, e no outro ressurge com uma velocidade inesperada. Outra música importante é “Capgras”, onde o trabalho da bateria se encaixa perfeitamente com as linhas de guitarra e o peso máximo do baixo.