No Trauma: Potencial para serem grandes

no trauma

Recebi da Roadie Metal o álbum Viva Forte Até o Seu Leito de Morte (2015), dos cariocas do No Trauma. O som pesado e cantado em português abre logo nossos ouvidos para o que virá. Fuga e Quimera abrem o álbum muito bem. Os vocais guturais de Hosmany Bandeira combinam muito bem com a guitarra pesada de Tunninho Silva, a bateria de Marvin Tabosa e o baixo de Jhonny Boy. As músicas incluem vocais limpos também, dando todo um contraste que curti bastante. As passagens pesadas são combinadas com riffs também com elementos de heavy metal, como é o caso de Quimera, que ainda tem um excelente solo.

M.M.A (Meu Mundo Artificial) adiciona elementos de rock moderno à música do No Trauma, combinando esses elementos com os já presentes riffs pesados e rápidos e Massa de Manobra faz o mesmo, só que adicionando um pouco de hardcore na música. Esta última representa, para mim, tudo o que é o álbum, a intenção da banda.

Confesso que fiquei certo tempo pensando no que escrever entre a linha passada e essa, mas cheguei à conclusão que é justamente isso (vendo o espaço em branco). Não há como descrever sem entrar em muitos detalhes o som do No Trauma. A mistura de elementos é a principal característica da banda, deu para perceber com o que escrevi até agora. Forca é outra composição que segue a mesma linha do hardcore, misturando elementos com o metal pesado. Não lembro de ter escutado algo assim parecido, talvez o Project46, sendo que até onde lembro o som deles não é tão diversificado quanto o do No Trauma (não dizendo que isso é um “defeito”). Depois de um pequeno interlúdio, intitulado Sedativo (executado no violão), a banda volta logo à velocidade e peso com Demoniocracia. A música traz uma crítica política bem forte, recomendo a leitura da letra. O álbum é encerrado com Viva Forte, música escolhida para o clipe, e Sawabona Shikoba. Ambas continuam a linha seguida no álbum.

Gostei bastante do Viva Forte Até o seu Leito de Morte (2015), a banda conseguiu entregar um álbum diversificado e único. O metalcore não é um estilo que escuto muito no dia-a-dia, na verdade, estou começando a ter mais contato agora (e com uma boa referência, diga-se de passagem). As composições misturam o metal com o heavy metal e hardcore de maneira bem coerente. As letras são muito boas e mesmo com vocal gutural conseguimos entender tudo que está sendo cantado. A qualidade da gravação está boa e um destaque é o cuidado que a banda teve na produção do álbum, incluindo coros e diversidade no vocal (alternando em gutural, limpo e até um “desafinado” proposital).

Concluindo, a banda possui um grande potencial para crescimento só pelo que foi mostrado no seu primeiro álbum. A música deles permite que novos horizontes nas composições sejam explorados, e pelo que escutei de Vida Forte Até o Seu Leito de Morte (2015), imagino que é o sentimento da banda como um todo – utilizar sua música como um instrumento de crítica, mas paralelo a isso, investir na diversidade musical das composições. Esperemos o que virá daqui para a frente.

Tracklist:

1.Fuga
2.Quimera
3.M.M.A
4.Massa de Manobra
5.O Chamado
6.Forca
7.Sedativo
8.Demoniocracia
9.Igualdade
10.Algemas do Medo
11.Viva Forte
12.Sawabona Shikoba

 

Um Comentário para: “No Trauma: Potencial para serem grandes

  1. Belo trabalho ! Muito esforço e dedicação pra realizar toda a produção desse CD. Eles conseguiram sem estrelismo, apresentar seu som ao público.