RevAnger: Um trabalho com identidade própria

CAPA REVANGER

Direto do deserto de Mossoró/RN vem o Revanger. A banda traz em seu som o mais puro heavy metal. O seu primeiro trabalho, Gladiator (2015), lançado pelo selo Rising Records, traduz em 6 músicas toda a vontade da banda em produzir um som de qualidade e força.

Patrick Raniery (vocal), Diego Miranda (guitarra), Diego Sampaio (guitarra), Guibyson Rodrigues (baixo) e Vicente “Mad Butcher” Andrade (bateria) entregaram excelentes músicas no álbum, a começar por Enter Hades. O instrumental introduz o álbum com muito peso e riffs, linha que é seguida em Crazy Words. O trabalho das guitarras, uma complementando a outra, somam ao vocal e completam a música. Hells Angels inicia com um solo de bateria, dando lugar a um riff puro heavy metal. Não tem como não lembrar do Judar Priest escutando essa música. Boas variações na melodia culminando em um refrão apoteótico.

The Evil Song possui um início na guitarra limpa, sendo que as distorções logo aparecem. A música é boa, segue a proposta das melodias do EP; só tem um pequeno “defeito”, ela fica entre duas “porradas”, por assim dizer. Não é fácil para uma música ficar entre Hells Angels e Gladiator em um EP – duas excelentes músicas e os maiores destaques do EP. Falando em Gladiator, acho que conseguiria fazer uma postagem inteira só com ela. Não preciso nem dizer que foi a música que mais escutei do Gladiator (2015), que é a música que me faz colocar o CD do Revanger no carro e sair escutando pelas ruas. A música não é rápida, mas é pesada. Todas as passagens são marcantes – as variações nos vocais nas estrofes, as variações nas melodias da guitarra (combinando partes limpas e distorcidas). Destaco a ponte, que dá vontade de cantar junto sempre.

Encerrando o EP, temos Chuva de Balas. Isso mesmo, música em português. Acho muito legal ver composições assim, lembro do metal brasileiro dos anos 80 – apesar de não ter vivenciado essa época. A letra, creio que remete à passagem do cangaceiro Lampião por Mossoró/RN. Esse título, “Chuva de Balas”, é o mesmo de um espetáculo teatral que acontece em Mossoró/RN todos os anos. Voltando à música, a música é a mais rápida do álbum, sendo que a batida é diminuída na ponte, para depois voltar a acelerar no refrão. É um bom encerramento para o EP.

O Revanger conseguiu mostrar sua proposta em Gladiator (2015). As variações nas composições – mantendo a mesma essência da banda – mostram o que a criatividade deles permite fazer. O resultado são músicas com identidades próprias, só que mantendo a mesma linha no estilo da banda.

A banda passou por algumas mudanças na formação, sendo que hoje conta com Rodrigo Fontes (baixo) e Elison Duarte (bateria), substituindo Guibyson e Vicente. Vamos aguardar o que virá de novas composições com a nova formação.

Tracklist:

1.Enter Hades
2.Crazy Words
3.Hells Angels
4.The Evil Song
5.Gladiator
6.Chuva de Balas



Comentários estão desabilitados no momento.